1.21.2013

sobre a teimosia

sou teimoso.
difícil. sou apegado à minhas convicções, vontades.
minha maneira de ver as coisas.
minha teimosia me ajuda as vezes.
persevero. insisto. sou decidido, luto, trabalho, suo e me sinto honrado com a conquista.

minha teimosia me atrapalha as vezes.
me cega. me faz arrogante. me faz repetir erros. repetir, repetir....
me faz orgulhoso, me faz não me permitir errar, ser gente....
insisto e persevero no erro. no caminho mais longo. mais tortuoso.

obstinado demais.

quero poder...
quero poder surtar.
quero poder ser inseguro.
quero poder somente....
sem ter que.... sem não poder isso.... sem não falar aquilo.
quero poder falar, mesmo errado.
quero poder somente...
ser eu.... sem ter que.... sem não poder...
quero poder ser negativo... sem acionar fantasmas.
quero poder ser frágil.
quero poder ser inseguro.
quero poder errar. sem acionar fanstasmas.
quero poder não querer fantasmas.
quero poder ter ciúme.
faz bem.
quero poder cuidar.
faz bem.
quero poder participar e estar junto.
só porque faz bem.
quero poder amar...
sem ter que acertar...

|
|
|

4.10.2012

sobre o espaço/tempo, os encontros e as nostalgias

minha vida transcorre devagarinho.... como estou acostumado. minha rotina, minha alimentação de 3 em 3 horas, minhas corridas e caminhas num aparelho de academia que não me levam pra lugar nenhum, suor, dor, fome, trânsito. meu mal humor rotineiro, minha vontade de amar e ser amado, minhas aulas de dança, minhas descobertas como professor, o movimento que me move o tempo todo.
quando chega a hora de outra viagem, me vem aquele desânimo, aquela preguiça, o stress que já antecipo.... vou arrumar minhas malas, de última hora como sempre.... viro noite sem dormir, fico ansioso, não consigo escolher que roupas levar, sempre coloco mais coisas do que preciso. e desta vez, me ocorreu, que em algum lugar, ou em vários lugares, tem alguém, fazendo a mesma coisa que eu, arrumando suas malas, esperando seus aviões, com suas expectativas, vontades, frustrações, conquistas, amigos, vida..... pego meu carro, vou até minha casa num bairro de periferia, me despeço de minha família... naquela rua que era de terra quando eu era criança, onde brinquei, cresci. que hoje é de asfalto esburacada, com esgoto vazando. mesmas paredes, lembranças, mudanças. eu, minha síntese, minha vida.... prestes a ser descolado, recortado, como várias outras pessoas, em vários lugares do mundo. espaços subitamente subtraídos. tempo subitamente encurtado.
o encontro com o novo, o diferente, a língua, a cultura. acabo sempre me animando, perdendo a preguiça, deixando o desânimo de lado. já é parte da minha vida, já me canso, já não me empolgo, mas ainda me alimento, cresço, aprendo, me modifico, a cada nova bolha. a cada nova dobra desse tempo espaço recortado, extraído, quase que abduzido do meu mundo/infância/identidade. aquilo que sou. a vida que tenho. na minha cidade. no meu país.
temperatura, cor, ar, hábitos. tudo diferente. tudo se intensifica num encontro potencializado. de emoções, aprendizados, experiências.
6 dias que valem 6 meses.
e a nostalgia e a saudade, as vezes parecem a de 6 anos.

e tão rápido quanto vieram, se vão, pra eu voltar pra minha vida que transcorre devagarinho.....

1.26.2012

sobre as reconciliações

se reconciliar com alguém, ou com uma situação mal resolvida não é algo fácil.
hoje foi um dia de reconciliações, reencontros... redescobertas... lembranças, nostalgias...
mas descobri que se reconciliar, é se apaziguar consigo próprio, antes de qualquer coisa, ou pessoa, ou situação.
tenho pensado muito ultimamente sobre essa questão da velocidade do tempo, do quanto as coisas têm parecido passar rápido, passar por nós sem que as percebamos. a velocidade. e sobre isso que muitos dizem que "o tempo cura", que "pra tudo o tempo resolve".
e no turbilhão, pessoas se perdem, se esvaem, se vão. e eu tenho essa tendência, de querer manter, correr atrás, reconciliar... reparar.
mas descobri que podem passar dias, meses, anos, décadas... o tempo não cura, não resolve, se você não se reconcilia consigo mesmo, se perdoa, se percebe nos seus limites, nos seus erros, se aceita. aceita sua condição, errante. é preciso crescer, é preciso se ver, é preciso se perceber, se entender. e se perdoar. ser generoso consigo próprio, com seu humano.
e daí sim olhar para outro, disposto, aberto para se deixar conquistar de novo, aberto para colocar o outro em perspectiva, desapegar... trazer leveza pra seguir em frente.
não se repara nada.... se aceita, se aprende, se perdoa e pede perdão, se absolve e se segue.
to muito feliz de ter descoberto todas essas coisas hoje.
de ter olhado para os reencontros, com possibilidades de transformação. sem as antigas vontades de retorno, de reviver algo que o tempo já deixou pra trás.
to muito feliz de estar conseguindo me ver e me olhar, com leveza, com humildade e generosidade. me descobrir calmo, com fé na capacidade do mundo de se organizar, e gentilmente trazer em seus ventos suas respostas sábias, seus singelos ensinamentos...
nesse sentido, o tempo se relativiza.... o tempo é nada se vc não se transforma.

10.12.2011

sobre a espera e a intensa vontade

That HomeThe Cinematic Orchestra
Where the doors are moaning all day long
Where the stairs are leaning dusk 'till dawn

Where the windows are breathing in the light
Where the rooms are a collection of our lives

This is a place where I don't feel alone
This is a place that I call my home.

5.25.2011

1.09.2011

sobre como seguir em frente

sobre a árvore

hoje chorei. hoje chorei uma pontinha do ano que se foi. hoje chorei tudo aqui dentro. um pouquinho de cada coisa.
chorei meus erros, meus equívocos, meus acertos, minhas dúvidas, meus medos.
queria poder ter chorado mais. queria poder chorar mais sempre. transbordar foi bom.
assisti ao filme "a árvore" que me tocou lá dentro. perto daquilo tudo que mantenho guardado, até pra mim mesmo. meus velhos anseios, vontades. a arte grande que me confunde e me move. vontade de ser grande, de ser poeta, de ser iluminadamente belo.
preciso retomar meus pensamentos, meu caminho de arte. quais os lugares que nos habitam? que imagens estão lá? que representações, metáforas usamos todos os dias de nossas vidas pra simplesmente seguir em frente? construímos casas todos os dias, meses, anos..... umas vão caindo... o vento leva.... pegamos tudo, colocamos em malas e seguimos. que simbologias carregamos? e quais escolhemos deixar? esquecer?
se pudesse, escolheria deixar aquelas que não gosto quando vejo fazendo parte de mim.... sendo egoísta, mesquinho... confuso. confuso com o espaço do outro, a casa do outro. a grandeza do outro. injusto.

é maravilhoso sentir essa inspiração, esse transbordar de vontades, sons, imagens, movimentos.
espero transformar tudo isso.... em ações duradouras. aproveitar meus aspirantes 26 anos que chegam pra direcionar toda essa energia pra construção. construção de estruturas, vigas, cuidadosamente pensadas e organizadas. construção de casas.... simbólicas, reais.

sou.

11.02.2010

sobre a eterna repetição

We Never Change
Coldplay

I want to live life, and never be cruel
And I want to live life, and be good to you,
And I want to fly, and never come down,
And live my life, and have friends around

We never change do we?
No, no.
We never learn do we?
So I want to live in a wooden house

I want to live life, and always be true
And I want to live life, and be good to you,
And I want to fly, and never come down,
And live my life, and have friends around

We never change do we?
No, no.
We never learn do we?
So I want to live in a wooden house
But making more friends would be easy

Oh and I don't have a soul to save,
Yes and I sin every single day.

We never change do we?
We never learn do we?

So I want to live in a wooden house,
Making more friends would be easy,
I want to live where the sun comes out.

9.22.2010

sobre a dor

Sushi

Sushi

Pensei estar sendo espertaPensei estar sendo esperta
Ao te dar meu coraçãoAo te dar meu coração
Falhei, deixei porta abertaFalhei, deixei porta aberta
Você alegou: “foi rejeição”Você alegou: “foi rejeição”
É isso que dá contar com o certoÉ isso que dá contar com o certo
Nem sempre o amor se encontra tão pertoNem sempre o amor se encontra tão perto
Cheguei a uma ilha desertaCheguei a uma ilha deserta
A um atalho contramãoA um atalho contramão
Eu sei que a resposta corretaEu sei que a resposta correta
Pode não ser a soluçãoPode não ser a solução
Viver a teu lado não dá futuroViver a teu lado não dá futuro
Fiquei deslumbrada a princípio, eu juroFiquei deslumbrada a princípio, eu juro
Então vem, chega mais pertoEntão vem, chega mais perto
Devolve já meu coraçãoDevolve já meu coração
Que tal sair deste apertoQue tal sair deste aperto
E decretarmos solidão a doisE decretarmos solidão a dois
Querido, é mais fácil vivermos solteirosQuerido, é mais fácil vivermos solteiros
Em festas confusõesEm festas confusões
Querido, é mais lindo juntarmos dinheiroQuerido, é mais lindo juntarmos dinheiro
E embarcarmos pro JapãoE embarcarmos pro Japão
Sushi, chá barSushi, chá bar
E esse seu jeito de falarE esse seu jeito de falar
Cantar, dançar, olhar pra mimCantar, dançar, olhar pra mim
Viver é não ter que transplantar…Viver é não ter que transplantar…
Doar sangrar trocar chamar pedir mostrar mentir falar justificar no cais chorando não sou eu quem vai ficar dizendo adeus batucada macaco no seu galho da roseira em flor da laranjeira amor é choradeira horror a vida inteira à beira da loucura e a dor e a dor e a dor e a dor…

Tulipa Ruiz
Doar sangrar trocar chamar pedir mostrar mentir falar justificar no cais chorando não sou eu quem vai ficar dizendo adeus batucada macaco no seu galho da roseira em flor da laranjeira amor é choradeira horror a vida inteira à beira da loucura e a dor e a dor e a dor e a dor...

Tulipa Ruiz

8.29.2010

diário de bordo - itumbiara/GO

esta foi a segunda vez que voltei a itumbiara com a cia. ano passado vim com a primeira edição do projeto dança na cidade. agora voltei nessa segunda edição, com outro espetáculo, para mais duas apresentações.
ficamos no mesmo hotel que da outra vez. bacaninha médio. hehehe.
as apresentações foram super especiais pois foram as últimas de um colega de trabalho que eu gosto muito, prezo muito e que aprendi muita coisa com ele. tudo foi regido por um clima de despedia, meio triste, meio nostálgico, meio de gratidão, meio agradecimento, meio um monte de sentimentos. :) mas com certeza muito especial!
essas transições de pessoas, momentos, sensações exigem uma capacidade grande de se conhecer e conseguir se estruturar nessa trajetória artística/profissional. é muito importante se ver, ter suas próprias referências, seu próprio caminho. isso não significa ignorar o caminho do outro. pelo contrário, sinto que é através da troca que solidifico cada vez mais meu caminho. porntanto, sentimos as perdas, sentimos quem vai embora, sentimos que outros estão chegando.... não estamos isentos e acho que nem devemos mesmo estar. mas é importante estar focado em si mesmo pra conseguir seguir em frente...

foram dois dias efêmeros.... como tudo tem sido ultimamente. foram as últimas apresentações agendadas nesse semestre antes da estréia do novo trabalho. vamos viajar bem menos agora. o que tem seu lado positivo mas também seu lado negativo.

continuo.... refém do que já está estruturado.
tento..... desestruturar. me largar....
dúvida.

8.04.2010

sobre a força e a fortaleza

"Santa Bárbara, que sois mais forte que as torres das fortalezas e a violência dos furacões, fazei com que os raios não me atinjam, os trovões não me assustem e o troar dos canhões não me abale a coragem e a bravura. Ficai sempre ao meu lado para que eu possa enfrentar de fronte erguida e de rosto sereno todas as tempestades e as batalhas de minha vida, para que, vencedor de todas as lutas, com a consciência do dever cumprido, possa agradecer a vós, minha protetora, e render graças a Deus, criador do céu, da terra, da natureza: este Deus que tem poder de dominar o furor das tempestades e abrandar a crueldade das guerras. Santa Bárbara, rogai por nós!"

diário de bordo - campos dos goytacases/RJ e são paulo

campos/RJ foi mais uma daquelas cidades que acabamos ficando mais tempo do que devíamos..... e a cidade é menos interessante do que devia. saímos cedo de petrópolis e chegamos por volta da hora do almoço em campos. comi no hotel, uma comida não lá muito boa, voltei ao quarto e dormi a tarde inteira até de noite. no dia seguinte teríamos um dia inteiro na cidade, de folga, sem nada, ensaio nada! gastei meu tempo no quarto, vendo séries no computador, e de noite saímos para ir ao shopping assistir "shrek 3" numa sala horrorosa, mal iluminada e com péssimo áudio. eu nem gostei muito do filme... achei booobo. "toy story 3" foi muito melhor! mas valeu pra dar uma caminhada, sair do quarto e dar uma arejada na cabeça.

pela manhã tomei café, caminhei um pouco pela cidade e voltei para o almoço. depois de comer fui pro quarto e preparei aula para o ensaio daquele dia. achei bem bacana as oportunidades que tive de dar aula pra cia nessas turnês. é um aprendizado muito bacana. depois da aula e ensaio, a apresentação, foi uma das mais "agitadas" que tivemos. a platéia era extremamente barulhenta e se manifestava em todos os momentos do espetáculo, com risos, palmas, tosses, comentários, assovios e por aí vai..... é sempre uma experiência interessante, vc ter que ir aos poucos, trazendo a platéia pro espetáculo, concentrando a energia do teatro. porém quando as platéias são despreparadas ou mal educadas isso é um saco. mas valeu. mais uma vez o espetáculo foi super bem aceito e fizemos nossa parte de maneira intocável. com platéia agitada ou não.

no dia 29, cedinho, saímos para são paulo. fomos de ônibus até o rio e do rio pegamos o vôo para sampa. a chegada ao rio foi super bacana! linda linda! cruzei a ponte rio niterói pela primeira vez. a vista é maravilhosa! :) pela tarde já estávamos no hotel..... falar sobre são paulo é estranho pra mim já pois venho tanto.... a apresentação não foi muito bacana pois o teatro não tinha uma estrutura legal..... então compromete um pouco o visual bacana que o trabalho tem quando a iluminação, cenário etc não são perfeitos. fora isso..... foi um dia estranho...... última apresentação do meu amor da minha vida! kaka... :) então foi um misto de nostalgia, tristeza... cansaço... pois já estávamos viajando a mais de 10 dias. mas mais uma vez cumprimos nossa parte da melhor maneira possível.

fim de semana no hotel, encontros e desencontros..... equívocos e confusões... e chega ao fim a turnê. 2 semanas de folga agora, antes de voltarmos pra goiânia pra montagem do trabalho novo.

uma semana em sampa. uma semana em campinas cuidando da minha energia, do meu espírito e da minha alma. até a volta.

7.27.2010

sobre o que esperar

lindo! :)


Do que espero:
 
Sabe aquele dia de sol
em que tudo pára no seu brilho amarelado
em que tudo paira num calor aconchegado
quando virá eu não sei.
 
Sabe aquele tempo sem pressa
em que as coisas acontecem por si
em que os planos já não fazem sentido
quando virá eu não sei.
 
Sabe aquele sabor de fruta carnuda
que enche a boca de água e doçura
que cala a palavra mas provoca o gemido
quando virá eu não sei.
 
E sabe aquele sorriso
Às vezes entrega, às vezes abrigo
Intenso de cores num planeta íntimo
quando virá eu também não sei.
 
Mas sabe aquela torcida
Às vezes ansiosa, por vezes melancólica
Aquela que na vida fez suas apostas
Esta permanece aqui.

diário de bordo - teresópolis e petrópolis/RJ

viemos com o "só" para o festival de inverno em teresópolis e petrópolis.
confesso que rolou uma decepção em relação às duas cidades.... acho que talvez um pouco por eu sempre ter ouvido falar e ter alimentado uma grande expectativa em relação às cidades da serra no interior do rio. bom, o fato é que eu imaginava uma coisa muito diferente... hehehe. não que sejam bonitas.... mas estão muito longe da imagem que eu tinha criado na minha cabeça. claro, tem sempre àquela questão que passamos pelas cidades muito rápido, em muitas vezes não dá pra conhecer muita coisa além do hotel e do teatro. isso é realmente uma pena. me disseram inclusive que estava na parte ruim da cidade, que ali... mais na frente, era muito mais bonito.... hehehe. bom, infelizmente, o que eu vi... não gostei. principalmente teresópolis. nada muito diferente de qualquer outra coisa. sei lá.... fiquei esperando aquelas cidadezinhas aconchegantes, com muitas flores, casas de madeira... hahahaha. engraçado.

o que foi bom é que tava friozinho e no alto tem muita neblina e umidade. um super descanso para minhas vias respiratórias que estavam super desgastadas naquela secura de goiânia.

uma coisa que voltou nessa viagem foi a intensidade das coisas. acho que uma intensidade interna mesmo, talvez minha maneira de me relacionar com as pessoas, as lembranças, as perdas, as mudanças. fico assim, intenso. agitado internamente, completamente disperso, gastando energia com o que não vale a pena. mas tem o lado bom dessa intensidade, talvez quando eu consigo por pra fora.... exteriorizar...... chorar. chorei. e foi bom. apesar de triste....

não sei também se é porque essa é nossa última viagem do semestre.... e o resto do ano ainda é uma incógnita, com muitas modificações no panorama das coisas. então já rola um misto de perda, saudade, nostalgia de algo que nem acabou ainda. estou agora em campos dos goyatases, também no rio, dançamos aqui depois de amanhã e seguimos pra sampa. (sempre sampa...) depois de sampa 2 semanas de folga. então fica essa ansiedade, de término e recomeço. como se tudo que precisasse ser feito ou dito tivesse um prazo, tempo contado.... fico mais vivo quando me sinto mais intenso. sofro mais também. me gasto mais. me concentro menos...

tava pensando hoje também que dentro desse processo preciso entender/desenvolver um jeito de me envolver menos com as coisas. acabo me maltratando demais. e isso é ruim. como me preservar no meio de tanta energia? recluso.

petrópolis foi bem mais bacana que teresópolis. assisti uma peça dentro do festival de inverno que nem era tão boa mas foi legal pois a MUITO tempo não ia ao teatro como expectador. andei de pedalinho, comi sanduíches gostosos de linguiça alemã. não conheci muito da cidade também mas a parte que fiquei era bonita. o sesc lá é lindo, palácio da quitandinha. vi uma exposição de bonecos e bonecas. ontem antes do espetáculos, fomos fazer aula pra nos aquecer dentro de um salão lindo, todo decorado, com piso de taco, lustres.... o sol estava se pondo e haviam muitas portas e janelas de vidro... a luz entrava na sala, e eu me movimentava. agradeci por aquele momento. aquele instante. a maneira de perceber as coisas faz toda a diferença na sua relação com os espaços, as pessoas e, consequentemente na sua relação consigo mesmo. têm sido cada vez mais raros esses momentos de apaziguamento, tranquilidade interna e contemplação. fico grato.

chegamos hoje em campos dos goytacases.......

7.20.2010

diário de bordo - anápolis/GO

anápolis foi a penúltima cidade desse projeto de circulação pelo interior do estado. dançamos lá dia 16 e 17. como é bem perto de goiânia não dormimos lá fomos e voltamos os dois dias.
o bacana do segundo dia foi que minha família pôde ir assistir. é o segundo espetáculo da cia que eles assistem comigo. são espetáculos beeeem diferentes entre si então achei legal pois eles puderam me ver em momentos bem diversos. é sempre muito estranho para eles..... então, quanto mais forem, pra mim é melhor.

com anápolis encerramos então o bloco interior e do PIF desse semestre. fica somente a última, itumbiara, no fim de agosto.

voltamos agora para o "só" no interior do rio e sampa.

malas de novo....

7.15.2010

diário de bordo - goiás velho/GO


foi uma viagem rápida. quase um bate e volta. de terça pra quarta.
a boa e velha goiás, a de sempre, a das primeiras descobertas, primeiras danças.
parece que nem nostalgia ando conseguindo mais sentir... hehehe.
mesma sensação da última vez que fui à são paulo: os lugares estão se (des)impregnando de memórias e afetos.
tempo muito seco, sinusite atacada, muita dor de cabeça, retorno de coisas chatas durante a apresentação, insatisfações.
pouco a dizer...

7.01.2010

diário de bordo - bogotá/colômbia

MUITO.
é a palavra que descreve bogotá. um pouco a cidade mas um pouco também minhas sensações dessa viagem nos seus 6 dias de duração.
muito barulho, muito cansaço, muita cor, muito carro, muita gente, muito luxo, muita emoção, muita gratidão, muita constatação, muita realidade.
foram 6 dias com três apresentações do "só tinha de ser com você". o teatro era lindo! muito grande, bacana, palco ótimo. tinha acabado de ser reformado. os 3 dias contaram com a platéia quase cheia, e uma ótima recepção do público. bom que agora dançar o "só" já não é mais um bicho de 7 cabeças. hehehe. é sempre um espetáculo difícil, que exige muito, mas que já não me causa tanto nervoso e ansiedade. mais uma vez, procuro sempre descobrir outras coisas, outros movimentos, outros momentos no espetáculo. como bogotá fica a quase 3 mil metros de altitude o ar é muito mais rarefeito, portanto nos cansamos muito mais facilmente! essa foi uma das diferenças de dançar lá... em cada lado do palco, havia um botijão de oxigênio para respirarmos nos momentos mais críticos de falta de fôlego!

os dias foram então marcados por essa sensação de cansaço constante, peso e areia nos olhos, uma dor de cabeça funda e constante entre os olhos. tudo meio ofegante sempre. mesmo depois de já acostumados era só andar alguns quarteirões que a sensação já voltava.

uma das coisas bacanas dessa viagem é que teve um dia que saí sozinho. sem mais ninguém da cia. nem sempre isso é possível pois estamos sempre juntos, fazendo coisas juntos, dormindo juntos, tomando café  juntos.... bom, eu sei que preciso desses momentos. só comigo. acho que preciso inclusive me esforçar mais para criar momentos assim, onde eu possa estar mais tranquilo, numa frequência de vibração mais baixa, com a oportunidade de me ouvir e me perceber mais. foi o passeio mais bacana que fiz, no meu tempo, na minha vontade. tirei minhas fotos, tomei café, tomei chuva.... fui aos museus, pontos históricos. só. e bem.

um outro momento assim foi quando visitamos a igreja monserrate. uma igreja que fica no topo de uma montanha ao redor de bogotá. o acesso é feito de bondinho ou "funicular" (uma espécie de trem que sobe montanha acima).... e lá, no alto, apesar de ter ido com outras pessoas, fiquei a maior parte do tempo sozinho. tive um momento muito especial, que não tinha a muito tempo, olhando bogotá inteira lá do alto, sentindo o vento, o frio, aquela sensação ofegante de falta de ar. me senti muito grato por estar ali, por ter aquela oportunidade, o privilégio de estar num lugar tão bonito, tão único! das montanhas acima, vinham nuvens negras, o tempo todo fechava e começava a choviscar. no momento seguinte abriam-se nuvens e raios de sol tomavam conta e iluminavam tudo. um lugar mágico. rezei, chorei e agradeci.

os museus lá também foram incríveis. visitei o museu do ouro, a casa da moeda e o museu botero! o botero sem dúvida foi o mais fascinante. além das obras dele, inconfundíveis, haviam diversas obras incríveis de artistas importantes de diferentes períodos. muito muito bacana! mais uma vez um privilégio.

saldo da viagem: preservar mais meus momentos, minha necessidade, meu tempo. fumar menos. me perceber mais. respeitar meu tempo, meus limites. ser mais sincero com minhas necessidades.

6.19.2010

sobre o agora

Shiver

So I look in your direction,
But you pay me no attention, do you?
I know you don't listen to me,
'Cause you say you see straight through me,
Don't you?

But on and on,
From the moment I wake,
To the moment I sleep,
I'll be there by your side,
Just you try and stop me,
I'll be waiting in line,
Just to see if you care

Oh, did you want me to change?
Well I'd change for good,
And I want you to know that you'll always get your way
And I wanted to say

Don't you shiver
Don't you shiver
I sing it loud and clear
And I'll always be waiting for you

So you know how much I need you,
But you never even see me do you?
And is this my final chance of getting you?

But on and on,
From the moment I wake,
To the moment I sleep,
I'll be there by your side,
Just you try and stop me,
I'll be waiting in line,
Just to see if you care, if you care.

Oh, did you want me to change?
Well I'd change for good,
And I want you to know that you'll always get your way
And I wanted to say...

Don't you shiver
Don't you shiver,
I sing it loud and clear
I'll always be waiting for you.
Yeah I'll always be waiting for you
Yeah I'll always be waiting for you
Yeah I'll always be waiting for you
For you, I will always be waiting

And it's you I see,
But you don't see me
And its you, I hear,
So loud and so clear
I sing it loud and clear
And I'll always be waiting for you

So I look in your direction,
But you pay me no attention,
And you know how much I need you
But you never even see me

(Coldplay)

diário de bordo - jataí e mineiros/GO

hoje é o último dia dessa primeira parte da turnê pelo interior de goiás.
estou em mineiros, já dançamos ontem e hoje é o segundo dia de apresentação aqui. o palco aqui é minúsculo! o MENOR de todas as cidades que fizemos. infelizmente o espetáculo fica super prejudicado! é uma pena... :( parece que a aqui foi a pior platéia que pegamos também. além de muito vazio o "teatro" estava muito desanimado. com uma platéia muito pouco participativa.

em jataí acho que foi a melhor apresentação que fiz. ou pelo menos a que mais curti e me senti bem fazendo. o público foi bem bacana, bastante gente.... o palco não era o melhor mas não chegou a comprometer. mais uma vez aquela sensação de estar na estrada com o espetáculo vai criando uma tranquilidade com as apresentações que é bastante enriquecedor. ter essa possibilidade de ir experimentando as coreografias, sem pressão, deixando o movimento ir dizendo e mostrando seus caminhos, dia após dia, apresentação após apresentação.

bom, já são mais ou menos dez dias viajando. estou cansado, meio sem paciência com os hotéis sujos, as pessoas.... estou com dores na minha lombar e no meu pescoço... meu cabelo e minha barba estão cada dia mais compridos e não decido se corto, se aparo, se raspo... voltaremos pra goiânia hoje depois do espetáculo, noite inteira viajando, chegaremos amanhã.... ficamos 3 ou 4 dias e já viajamos de novo. PRECISO encontrar uma maneira de me ver nesse fluxo, de ficar menos na net em sites inúteis, de fazer todas as coisas pendentes que não consigo desenvolver..... não consigo aprofundar. parece que todas as minhas preocupações são as mais superficiais possíveis. essa é a regra. estou fumando alucinadamente. nunca fumei tanto. não sei se é ansiedade, vício, fraqueza, dependência. como é possível achar um jeito de sobreviver melhor nesse dia a dia....

sinto.

6.18.2010

sobre a sensibilidade

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara."
J. Saramago.

Um dos melhores nos deixa. Singela homenagem...

6.15.2010

sobre o instante

Não quero que você me coma
Não quero que você me engula
Não quero que você me acorde
Não quero que você me durma
Não quero que você me assista
Não quero que você me assuma
Não quero que você me corte
Não quero que você me inclua

Eu só quero um segundo teu
E um segundo meu
Um instante de dois
Sem mais, nem pra depois eu te dizer
Que eu te amo não
Te amo demais para ser prisão
De dois
Amor

(Cibelle)

6.11.2010

diário de bordo - rio verde e quirinópolis/GO

essa é a segunda vez que fazemos uma turnê pelo interior do estado. desta vez, a turnê está maior, com mais cidades e mais apresentações. é uma experiência rica no sentido do quanto entro em contato com questões diversas da minha realidade cultural, do estado afinal onde não nasci mas onde cresci e fui criado desde os 5 anos de idade.

coisas que chamam a atenção...
primeiro a carência de cultura que é generalizada. é gritante a ausência de referências, experiências com o objeto artístico. nas cidades menores então (que é o caso de rio verde e principalmente quirinópolis) isso é alarmante. daí temos duas reações diversas muito presentes: o estranhamento (até mesmo aversão) e o maravilhamento. a mais gratificante claro, é a expressão de encantamento do público, frente algo que para eles simplesmente não faziam idéia de que existia. mais uma vez voltam aqueles velhos questionamentos sobre a função da arte, seu poder de transformação, sua capacidade de despertar diferentes realidades, modificar os contextos onde se insere.... questões profundas.... de fato não tenho acreditado na arte como força de transformação social, porém a força do entusiasmo nas pessoas que ficam até o final, esperando para falar conosco, nos dizer o quanto foi importante para elas aquele instante, aquele momento de deslocamento de suas realidades é algo que no mínimo me faz refletir...

interessante pois o espetáculo que trouxemos desta vez para o interior é o "por instantes de felicidade" que questiona justamente coisas do tipo..... instantes, momentos que de tão singulares, duram pouco.... evaporam-se..... viram lembranças....
aliás, um espetáculo super bacana de dançar. super livre, solto, proporciona uma sensação de leveza em cena, tudo muito espontâneo.... mais um ponto positivo de estar numa cia com um repertório vasto e variado. diferente possibilidades de contato com o movimento e com a cena.

segunda coisa que chama muito atenção...
o lado ruim da realidade cultural do interior do estado. hoje, fizemos duas sessões especiais do espetáculo para crianças e adolescentes de escolas públicas da cidade. enquanto esperávamos o espetáculo começar as crianças já estavam na platéia e no teatro tocava música sertaneja com música ambiente. de repente, todas as crianças (máximo 7 anos de idade) começaram a cantar a música e todas conheciam inteiramente a letra da canção! não é algo contra a música sertaneja em si, mas esse episódio me fez refletir sobre o que é ser criança numa cidade como essa e crescer formando sua personalidade com referências herdadas de uma sociedade patriarcal e machista. coisas difíceis de se julgar..... conversando com uma amiga sobre isso ela me lembrou que existem muitas coisas boas para crianças que crescem no interior em relação àquelas que crescem nas cidades enlouquecidas pelo cotidiano de consumo onde também todas as referências presentes em sua formação estão deturpadas... perdas e ganhos.... como tudo na vida.

em rio verde fizemos apenas uma apresentação. aqui em quirinópolis começamos hoje e vamos até segunda. depois seguimos para jataí e mineiros.

o difícil é achar o que fazer nessa cidade minúscula..... ;) hoje arriscamos ir numa festa junina. fiquei animado pois achei que ia ter doces típicos mas nem pé de moleque tinha!!!! as quadrilhas eram com roupas verde e amarela inspiradas na copa ou com músicas de funk...... é...... nem o interior escapou.

6.06.2010

sobre ser babá por um dia

numa dessas viagens aí, ficamos de cuidar do filho de uma de nossas companheiras de trabalho, que estava na viagem com a gente. ela teve que dar uma oficina pela cia e não tinha com quem deixá-lo. foi uma experiência bacaníssima! :) hehehe! mas o melhor, foi a lista de recomendações que ela deixou com a gente para o período que ficaríamos com ele.... foi apenas uma manhã mas a lista é muito engraçada! hehehehe! então transcrevi ela abaixo. conselhos de uma mãe experiente... hehehe!


olá!

. existem mais roupas na mala branca do théo, se precisar.
. na mochila preta de rodinhas estão os brinquedos e 2 mudas de roupas (1 versão mais colorida e outra mais para frio...) por favor, levar a mochila de rodinhas preta e a mochila de "monstro" (onde estão os lanches do théo).
. na mala branca tem uma bolsinha preta, com medicamentos se houver necessidade (seguir bula, théo = 20kg)
. não precisa dar banho, só se ele se sujar muito (as coisas para banho estão em cima do frigobar no meu quarto).
. ele está com o nariz um pouco entupido: tem um spray de soro fisiológico, pode de vez em quando espirrar 1x em cada narina e depois fazer ele assoar o nariz (tem uma fraldinha junto para isso).
. vou deixar um vidro de sorine junto (dentro tem soro fisiológico). por favor, peça para ele deitar e pode colocar um tubinho cheio de soro em cada narina. peça para ele engolir, espere alguns segundos para ele levantar e depois pode assoar o nariz (ele sempre reclama disso, mas é para eliminar catarros na garganta e evitar infecção de ouvido e de garganta, portanto, um "mal necessário"... não se abalem se ele chorar um pouco, isso não dói. é que ele não gosta... qualquer coisa peça para ele fazer o mesmo em vocês...
. se der, faça um lanchinho de pão com queijo no café para mais tarde, pois não sei que horas vamos almoçar.
. não esqueçam de fazer ele comer primeiro as frutas de manhã (mas se ele não aceitar tudo bem, não se desesperem...), só evitem os embutidos mais gordurosos.
. ultimamente ele não está pedindo para fazer xixi, mas é bom lembrá-lo e lembrá-lo de balançar bem o pipiu e lavar as mãos (depois tem que verificar se não pingou na privada...)
. se ele quiser fazer cocô, dêem uma coisa (bolsa...) para apoiar os pés e um livrinho se ele quiser. só não deixem ele cair no vaso!! :)
. tem lenço umidecido na mochila preta, junto com os soros, no bolsinho menor de cima e com a escova de dente. pode por pouca pasta e deixar ele escovar, imitando alguém escovando na frente dele (não esquecer de escovar a língua!!).

acho que é isso... qualquer coisa me liguem.
obrigado MESMO!
beijo e até mais.

6.02.2010

e mais uma vez, sampasville sunsfield

uma das idéias principais de passar esses dias de folga em samba era descansar. ficar quieto. dentro de casa. lendo. refletindo. centrando minha energia. pois com tantas idas e vindas, esse fluxo constante, parece que as coisas ficam simplesmente soltas de mais, espalhadas demais. em goiânia, por mais que esteja de folga, eu não me sinto desconectado, acho que por a quasar ser lá e nunca ter nada para fazer, acabamos indo sempre nos mesmos lugares, com as mesmas pessoas (as que viajo)….. fica sempre um incômodo, uma agitação interna quando fico lá "atoa". mas não consegui totalmente esse "retiro" de isolamento em samba pois tem tanta coisa interessantíssima para fazer sempre que acabei batendo perna praticamente todo dia! bom, isso acabou não sendo um problema em si pois mesmo fazendo mil coisas o dia inteiro, de certa forma, me desconectei um pouco. queria muito isso também pois a partir de hoje, voltando ao trabalho, retomamos a maratona de viagens e isso só vai acabar em agosto. literalmente, vão ser raríssimos meus dias de folga até lá….. e consequentemente minhas chances de descanso físico e mental (principalmente).

então é isso, acaba que vira e mexe estou de volta em sampa. e a cada vez que venho ressignifico mais os lugares, as sensações. aconteceu uma coisa interessante dessa vez que foi uma sensação de leveza com os espaços, lugares e sentimentos. sempre que voltava, eu carregaaaava de nostalgias e sentimentos, saudades. acho que numa necessidade mesmo de retomar a realidade de quando eu morei lá, antes de vir pra goiânia. dessa vez, os lugares pareciam quase frios pra mim. acho que um pouco por eu já ter morado lá e ido tantas vezes, já são tantas lembranças e experiências em relação à um mesmo lugar que ele acaba perdendo um significado "especial", único….. são tantas…… que todas ficam meio iguais. vejo isso como uma coisa boa na verdade…. acho que significa que eu mudei, transformei as sensações até porque muitas delas eram lembranças ruins.

então rolou de tudo, exposição, cinema, bar, show de jazz, comidas e cafés deliciosos, danças, reencontros com pessoas queridas… é absurda a facilidade de se achar algo interessante pra se fazer lá em relação à goiânia. simplesmente não dá pra comparar. e são paulo é isso, ir pra passar a folga é perfeito, morar é o inferno!

uma coisa ótima que aconteceu foi uma noite caminhando pela augusta indo pra casa de um amigo, no meio de uma multidão de gente, encontrei "por acaso" uma amiga queridíssima da época de faculdade. é incrível como sempre acontece algo parecido com isso sempre que vou para sampa!!! foi uma delícia nosso encontro! tomamos um lanche juntos, conversamos…. e já está rolando dizer "ha, encontrei uma amiga da época da faculdade"…. hehehehe. parece que foi ontem. ok, não faz mesmo tanto tempo assim mas que é estranho é.

então foram ainda dias intensos e não tão calmos quanto eu tinha inicialmente imaginado. mas importantes. a cabeça deu uma tranqüilizada o coração foi confortado e na segunda já embarquei direto pro ensaio em goiânia. sem tempo pra respirar.

qua.26.mai.2010

- cheguei de floripa, carona do aeroporto para casa, sono a tarde inteira, jantar, reencontro

qui.27.mai.2010

- acordei, preguiça, café
- frio, ônibus demorado, nova estação sacomã
- dermato, verruga, receita cara
- horas no orelhão, plano de saúde ineficiente
- almoço como antigamente, caminhada, paulista (a boa e velha)
- cinto novo, exposição ruim no seis, cacau show, capuccino (!!!!!)
- livraria cultura, coxinha, caminhada até a sé, jantar como antigamente, samba no teatro fábrica (nostalgias diversas), show de jazz, mal-humor de leve e sono

sex.28.mai.2010

- acordei, café, fiz almoço
- carona, a pé até estação santos/imigrantes, outra dermato em perdizes
- nitrogênio liquido, dor, farmácia, band-aid do tom e jerry
- caminhada por perdizes, cheese cake de frutas vermelhas (!!!!!), cappuccino
- pôr do sol na ida para o shopping bourbon
- cinema: "em teu nome"
- visita kanselumuka, macarrão à bolonhesa, nostalgias diversas
- dirigi para casa, sono tranquilo

sáb.29.mai.2010

- acordei, sono bom, carinho e café
- estação pinacoteca: memorial da resistência
- almoço em um PF no bom retiro
- pinacoteca a tarde toda, museu, museu
- parque da luz, franz café, estação sé, leitura
- centro cultural são paulo, 2 danças, uma boa com saudades e reencontros, outra ruim
- augusta, encontro incrível com sá no meio da rua, lanche gostoso, conversa gostosa
- casa lekuanditala com muitas balas haribo

dom.30.mai.2010

- dia todo em casa, descansando, fazendo almoço, pensando em tudo isso de tantas coisas
- esfihas, sorvete derretido do mac, sono

seg.31.mai.2010

- volta para goiânia pela manhã direto para o ensaio.

5.31.2010

diario de bordo - florianópolis

deixamos presidente prudente numa tarde nublada. chegamos em florianópolis só de noite pois o vôo tinha conexão por são paulo. uma van nos levou para o hotel mas eu e valeska só passamos rapidamente por lá, deixamos as malas, e já fomos para uma emissora de TV para participação ao vivo num programa. depois de uma longa espera, participamos da entrevista que não deve ter durado nem 15 minutos. o bacana desse "passeio" foi que a emissora ficava num ponto bem alto da ilha, e de lá dava para ter uma visão incrível de toda floripa, completamente iluminada, a famosa ponte…

fomos jantar num bufê de sopas! uma delícia….. hotel, computador, o de sempre…

no dia seguinte saí para dar uma volta pela manhã na cidade. após o café. esta foi a segunda vez que eu fui em floripa. então, assim como marília, vieram algumas lembranças, dos lugares onde estive, e das coisas que estava vivendo. nossa, como as coisas mudaram….. rápido. sem que eu percebesse totalmente como e onde e porquê…

no shopping (o mesmo que já tinha ido da outra vez) comprei um livro que já queria comprar a muito tempo e não sei porque ainda não tinha comprado. "corpo" do drummond. maravilhosas poesias, de alguma forma relacionadas com esse nosso invólucro do qual não nos separamos nunca. com certeza vou colocar algumas aqui.

hotel, almoço, cappuccino, descanso micro, ida para o teatro. super bacana o teatro, um alívio depois das duas apresentações na virada cultural. nossa, como foram complicadas, atropeladas. fico pensando sobre a real função e alcance de um evento como esse… até que ponto ele cumpre sua função de "levar a arte para as pessoas"… na verdade para o maior número possível de pessoas e foda-se o resto. não importa muito as condições, não importa muito o "como". as vezes parece que é só pra fazer estatísticas…. cultura para o povo (?).

em floripa a apresentação foi bacana mas não foi a melhoooooor que eu já fiz do ´céu na boca´. uma ciosinha aqui e ali que não sai do jeito perfeito parece que já compromete. mais uma vez cansaço, pelo desgaste do espetáculo. foi a última do ´céu´ esse ano….. bom, pelo menos que está agendado. isso me dá um pouco de alívio pois como já disse é um espetáculo muito desgastaste pra mim, mas por outro lado é um espetáculo que dá segurança de dançar, já pude experimentar e descobri diferentes facetas dele. agora seguimos com a remontagem do ´pif´e retomamos o ´só´.

fomos jantar e chegamos no hotel já quase uma da manhã. estava exausto!!!! arrumei minha mala o mais rápido que pude e dormi. na manhã seguinte, já bem cedo, embarcamos de volta para goiânia, mas eu fiquei em são paulo na conexão, para passar o resto da semana (de folga)…

no fim acho que não aproveitei nada de floripa. um bate e volta funcional. uma pena.

5.25.2010

sobre os limites

"Cada qual vê o que quer, pode ou consegue enxergar.
Porque eu sou do tamanho do que vejo. E não do tamanho da minha altura." (F. Pessoa)

5.23.2010

sobre a intensidade

"Ama-me. É tempo ainda. Interroga-me. E eu te direi que nosso tempo é agora." (H. Hilst)

diário de bordo - presidente prudente/SP

chegamos no hotel já de madrugada. uma canseira. a apresentação em marília foi uma confusão. pouco tempo, palco montado, falhas no som..... rolou um choque de realidades pois viemos com o espetáculo da alemanha, em um super festival, onde tudo era impecável, para dançar num micro palco montado num ginásio de esportes. na verdade não há julgamento de valores, melhor ou pior. só muito diferente. mais uma vez aprendizado, experiência e crescimento.

descansei o máximo que pude e já fomos para a apresentação que foi 13h. dessa vez foi num teatro, pequeno. já foi bem mais tranquilo que ontem. como estamos nessas apresentações com um bailarino a menos o nível de cansaço aumentou muito, pois estamos revezando/substituindo as partes que ele fazia. é mais pesado mas é bacana pois nos dá a chance de experimentar outras coreografias, que não dançávamos antes. acaba que de certa forma aprofundamos o olhar sobre o espetáculo, há a chance de vê-lo sob outras perspectivas.

voltamos pro hotel..... passei a tarde na sauna, alonguei, descansei...... sono meio atrasado, conturbado. amanhã seguimos para florianópolis...

cansaço.

5.22.2010

diário de bordo - marília/SP

os dias em goiânia passaram voando. e já embarcamos para uma nova viagem. aliás, descobri que vou viajar incessantemente pelos próximos 2 meses. acho que vou acabar aprendendo a lidar com essa sensação de fluxo constante... a sensação de suspensão perdura. como se eu sentisse e vivesse o efêmero, o instante. parece que não dá pra aprofundar. os diálogos nunca se transformam em algo que renderá frutos futuros. o futuro é agora mesmo, cada quarto, cada ônibus, cada avião, cada abrir e fechar de malas.... pena que tudo parece meio vago e superficial, meio em movimento sempre. estou mais tempo aqui, de frente pro computador do que fazendo algo realmente útil ou produtivo. e assim parece ser com cada um... visito outros quartos e é a mesma cena.... meu colega de quarto.... a mesma cena.... há sempre um computador aberto, uma música rolando. uma tentativa desesperada de se manter "conectado" com aquilo que nos dá sentido, afeto, chão.

bom, no meio da viagem pra marília, me ocorreu que eu já dancei em marília. em 2008, com a cia fragmento de dança, quando estávamos realizando o projeto sesi circulação pelo interior de são paulo. nossa, foi muito muito bacana ter lembrado disso pois automaticamente me remeteu à uma época muito bacana!!! quando ainda morava em são paulo e achava que tudo na minha vida não estava do jeito que eu queria. hehehehehehe.

é muito bacana notar como a noção de nossa própria realidade é relativa. e varia de acordo com o nível de envolvimento emocional que temos com certos espaços, pessoas, sensações. o clima, as cores da cidade, as músicas que estamos ouvindo naquela época. criam um "plasma" de memórias. só que quando estamos vivendo esse contexto nossa percepção é difusa, imparcial. é difícil fazer julgamentos, valorar nossos aprendizados, nossas vivências..... enfim, isso tudo porque voltando pra marília, num outro contexto, totalmente diferente, vivendo um outro "plasma" de memórias e sensações, aquele momento anterior que de perto me parecia tão confuso e me deixava tão insatisfeito é agora, na verdade, uma preciosidade.

chegamos ontem e quando saí para almoçar, por coincidência (nem tanta pois a cidade é bem pequena), fui parar no mesmo restaurante que almocei da primeira vez que vim.... com a outra cia de dança. depois de comer fiz o caminho inverso ao que fiz da primeira vez e a cada esquina ia me lembrando dos passos que tinham sido dados, com outras pessoas, com outras certezas, outros medos.... cheguei finalmente à porta do hotel onde fiquei hospedado da primeira vez. e parei. olhei. foi uma experiência muito nostálgica e muito (não sei bem porque) gratificante.

dançamos hoje na abertura da virada cultural de marília e logo mais à noite seguimos para presidente prudente para dançar na mesma virada cultural amanhã 13h. uma maratoninha cansativa.

só relembrando uma frase antiga que me ocorreu: meu não lugar é comigo mesmo....

lembranças de uma pesquisa distante.

5.15.2010

diário de bordo - vigésimo dia à hoje - las palmas, wolfsburg, goiânia

e eis que se chega ao fim! (2)

to tentando escrever este "último" post desde que cheguei mas ainda não consegui. tive problemas com minha internet uns dias, não consegui me concentrar em outros. o fato é que desde que cheguei estou meio confuso, fiquei doente, sentindo as adaptações do fuso... fora que já passaram tantos dias desde minha última postagem que parece até que algumas coisas perderam o sentido em ser escritas..... bom, vamos lá ver o que eu consigo.

os últimos dias em las palmas..... bom, to tendo que fazer um esforço para lembrar como foram. :) sei que dançamos os dois dias, tivemos um jantar oferecido por nosso produtor na espanha no primeiro dia para "fechar" nossa turnê espanhola e no último dia o diretor local do teatro nos ofereceu também um jantar em sua casa em sinal de cordialidade. foi tudo bem bacana! a parte espanhola da viagem não poderia ter terminado melhor, com as melhores apresentações do espetáculo, casa cheia e público receptivo! depois das apresentações ainda ficamos mais 2 dias em las palmas, antes de ir pra wolfsburg, pois nosso vôo só saía de la na terça, dia 04. ainda saímos para alguma outra balada, dormi durante todo o domingo e segunda não me lembro o que fiz.... hehehe. eu diria que as ilhas canárias foi o período mais difícil pra mim na viagem. muitas coisas vinham acontecendo desde o início da turnê pra todo mundo mas nas ilhas  eu me vi bem sensível, exposto e fragilizado..... talvez foram meus dias mais carentes.... ou de mais saudade..... ou de mais dificuldade pra lidar com tudo o que estava sentindo e passando.

a ida para wolfsburg/alemanha foi uma novela!!!! mais uma vez o maior problema no check in com excesso de volumes.... abre mala, troca coisa de uma mala pra outra. no fim das contas até com minha bagagem de mão a funcionária da ibéria veio encrencar! mas no fim todos embarcaram sem pagar nada de excesso. faríamos uma conexão em madrid onde pegaríamos outro vôo pra berlim e de berlim uma van para wolfsburg. o pouso em madrid foi o PIOR que já passei em todas as minhas viagens de avião! havia MUITO vento lateral e MUITA turbulência na aproximação da pista. depois de uma tentativa frustada o piloto arremeteu e ficou mais uns 30 minutos na turbulência tentando uma nova aproximação. todo mundo já estava muito nervoso, passando mal, rezando, chorando..... e na segunda tentativa o avião pousou e derrapou na pista! foi muito tenso tudo! com tanta variação de pressão minha sinusite atacou e fiquei os 2 primeiros dias em wolfsburg meio doente. um saco.

chegando em berlim começamos a perceber o quanto seríamos bem tratados e bem recebidos em nossa estadia. haviam vários engravatados nos esperando com várias vans... uma coisa meio MIB - homens de preto. hehehehehehehe. passamos num restaurante italiano para jantar antes de seguir para wolfsburg, nosso destino final. posso dizer que foi tudo o que conheci de berlim... uma cantina italiana. :) chegamos já de madrugada... e estava muito muito frio!!!! ficamos na mesma rede de hotéis das ilhas canárias e por isso não tive internet na alemanha. por isso não consegui postar nada aqui desde então.

a estadia em wolfsburg foi fantástica! o festival que participamos é maravilhoso! é um festival realizado pela volkswagem com grandes cias de dança partipando. tudo acontece dentro da fábrica de carros.... uma coisa de outro mundo! a estrutura da produção foi impecável!!!! tínhamos simplesmente TUDO que precisávamos.... sala de ensaio, comida ótima o dia inteiro, massagistas à nossa disposição e até roupa lavada! ;) os 4 dias de apresentação foram ótimos, com teatro lotado todos os dias e uma ótima aceitação do público ao espetáculo. foi realmente tudo muito bom! o resto foi como nas outras cidades.... compras e mais compras, saídas de noite e etc. ha, a diferença: MUITO frio! :)

o roteiro de volta pro brasil foi outra novela: wolfsburg - hamburg, hamburg - frankfurt, frankfurt - guarulhos, guarulhos - congonhas, congonhas - goiânia!!! acho que ficamos umas 20h ao todo viajando. cheguei muito cansado..... e desde então estou aqui em goiânia envolto na ressaca dessa viagem. tivemos a semana toda de folga. até agora minha mala está aberta no meio da sala de casa..... com coisas espalhadas pelo sofá. já dei algumas saídas, meio homeopáticas. o fuso só hoje que parece ter voltado ao normal. fiquei doente..... um mal estar no corpo, interno. uma confusão mental mesmo. dificuldade de processamento de tantas coisas que vivi e senti.

a bolha se estoura. e a realidade decanta pesadamente sobre nossas mentes e nossos corações.


Exibir mapa ampliado


5.01.2010

diário de bordo - décimo primeiro ao décimo nono dia - talavera de la reina e las palmas de gran canaria

fico me perguntando se essa viagem fosse durar muito mais tempo até que ponto as coisas iam se sustentar. conversando ontem, descobrimos que estamos no nosso próprio big brother (péssima metáfora mas não consigo encontrar outra). a diferença é que no nosso big brother não tem paredão.... então não tem eliminação.... hehehe. todos os participantes começam o jogo e todos vão terminar (pelo menos é o que se espera...)
não dá pra negar que é uma experiência única. mas como é intensa! e consequentemente desgantante..... é muita risada, muita alegria, muita tristeza, muita saudade, muito de tudo..... todo mundo chora, fica mal humorado (acho que eu mais mal humorado que os outros...), enfim... indo para o fim da viagem parece que tudo fica mais latente. sensação que estou numa bolha.... realidade suspensa ao invés de decantada. o mundo parou por um mês..... e estamos todos num conto de fadas... com suas bruxas e seus príncipes... tudo muito intrigante... uns se arriscam mais, outros menos, mas todos passam e se transformam de alguma forma........ daí voltam mil questões, mil questionamentos..... tudo aquilo que tava lá dentro guardado parece que transborda, vem pra superfície. me pego mais uma vez olhando pra mim mesmo, me debatendo sempre com os mesmos incômodos, às mesmas maneiras de reagir às situações, aos estímulos, às relações.

acho que por conta disso tudo fiquei 8 dias sem escrever..... não tinha energia pra vim aqui e descrever tudo o que estava acontecendo. tudo agora está mais turvo, os dias se misturam, as sensações já não têm mais referência. meu último registro foi de albacete, no dia 22. fomos pra talavera de la reina no dia seguinte e ficamos lá por 2 dias. com direito à mais saídas, cervejas e muitas compras..... comprei 2 tênis e uma bolsa de viagem super bacana. achei finalmente um mac'donalds (em nenhuma das cidades anteriores tinha). foi estranhíssimo minha referência de algo "familiar" ter sido um big mac... é surreal! o mesmo gosto!

embarcamos para las palmas de gran canaria no dia 25, domingo. depois de praticamente uma noite inteira acordado (nas baladas de talavera...) pegamos o ônibus para madri e embarcamos no aeroporto de lá para las palmas. foi uma confusão absurda no check-in pois todos estavam com excesso de bagagem e a multa era de 60 euros por volume! foi uma loucura de abrir mala no meio do aeroporto, trocar as coisas de uma pra outra.... enfim! chegamos no domingo à tarde e tivemos folga de 2 dias, segunda e terça. uma maravilha pois estavam todos muito cansados.

então amanhã faz uma semana que estamos nas ilhas canárias. nossa ilha é a gran canaria e pelo o que entendi las palmas é uma das várias cidades da ilha. aqui é como se fosse um pedaço da espanha mesmo, apesar de estarmos no atlântico do lado do marrocos na áfrica. a ilha é totalmente urbanizada, com grandes avenidas, rodovias, comércio intenso! muitos bares, restaurantes, cafés.... e, claro, grandes centro de compras!!!!! tá sendo um estrago! hehehe! acho que erroneamente imaginei uma coisa meio paradisíaca e isolada.... mas não é! pelo contrário. a cidade é super movimentada, inclusive com uma intensa atividade cultural.

dançamos aqui 2 dias e ontem foi a primeira apresentação. ao que parece foi nossa melhor apresentação até agora. a resposta do público foi magnífica! e o espetáculo cresceu bastante também. hoje é então a última apresentação do "só tinha de ser com você". já tá dando uma peninha..... hehehe! foi muito importante pra mim ter dançado esse espetáculo e ter conseguido crescer dentro de sua proposta. mas já estamos entrando no clima do "céu na boca" para a alemanha. antes de ontem já tivemos um corrido dele, até com algumas pessoas que trabalham com dança aqui na platéia. depois houve um bate papo sobre o trabalho da cia.... foi bem bacana. hoje antes da apresentação vamos ter mais um corrido do "céu". e por fim encerraremos o pacote espanhol da turnê. porém ficamos ainda aqui até terça. que é quando embarcamos para wolfsburg.

para quem pediu fotos do espetáculo é meio complicado pra mim pois estou sempre dançando então não dá pra eu tirar! hehehehehe! mas no blog da cia tem algumas fotos que nossa produtora tirou dos ensaios e espetáculo: http://quasarciadedanca.blogspot.com


Exibir mapa ampliado

4.22.2010

diário de bordo - décimo dia, quinta - albacete

hoje foi nosso último dia em albacete!
os dias aqui foram MUITO intensos.... muitas atividades, muitas caminhadas, muitas fotos, muitas conversas, muitas cervejas, muitas saídas de noite, muitos acontecimentos, muito cansaço......... estou exausto! fisicamente e mentalmente!
engraçado que, apesar de já estarmos totalmente acostumados com o fuso daqui, o cansaço parece se intensificar pois anoitece muito tarde! 21h ainda está claro! daí fica aquela sensação de que ainda é dia.... fico com a maior energia. quando a noite cai já é super tarde, acaba que demoro pra dormir acordo cedo no outro dia. enfim, um ciclo vicioso...
acabou que ontem fiquei até tarde no quarto escrevendo aqui e me atrasei para ir pro ensaio. quase que não deu tempo de comer. peguei um sanduíche (ótimo aliás) e um bolo de chocolate e fui comendo no caminho pro teatro. no ensaio voltamos para o "só tinha de ser com vc" pois hoje seria a apresentação. foi bem bacana o ensaio pois experimentamos alguns revezamentos de coreografias. legal pra sentir o espaço, a luz, de coreografias que não danço ainda. foi um bom ensaio.

depois do ensaio fomos comer..... esqueci de dizer que a pedida de albacete foi pizza! jantei pizza TODOS os dias que estava aqui acho..... hehehehe. além de ter achado aquela pizzaria super bacana com pizzas deliciosas elas são bem baratas. então foi o que rolou. depois, uma rápida passagem num pub, uma cervejinha de leve, hotel, conversas no quarto, outras cervejinhas (!!) e quando vimos tava rolando uma festinha no quarto dos meninos. pra variar fui dormir tarde....

ao acordar hoje tentei me apressar pro café pois queria visitar o loja 'el corte ingles' que é uma super loja de departamento que tem de TUDO. de roupas à eletrônicos. mas tava tudo meio caro. não comprei nada a não ser meu almoço e muitos chocolates. to comendo muito chocolate. é a carência..... esta mesma que me fez passar de novo na 'lefties' na ida pro teatro e comprar 4 camisas! bom, cada um 6 euros, mas enfim....

ensaio geral...... e nossa quarta apresentação. foi a melhor apresentação pra mim até agora. a que consegui estar mais concentrado e principalmente mais relaxado. além daquele teatro maravilhoso e do nosso melhor público até agora..... foi a apresentação que mais encheu.

volta pro hotel, o povo já saiu (pra variar) mas hoje não consegui. preciso descansar, além de arrumar minha mala pra viagem de amanhã. saímos às 9h para nossa última cidade da espanha, talavera de la reina. só dei uma saída pra comprar meu jantar (a mesma pizza, hehe) e agora estou aqui....

nossa.......... quanta coisa pra cabeça!
vou seguindo em frente....


Exibir mapa ampliado

4.21.2010

diário de bordo - sexto ao nono dia, dom a quar - albacete

HA, albacete!

chegamos aqui domingo e hoje já é quarta feira. portanto já tem 4 dias que estamos nesta cidade, que é incrível! como tinha dito ela é maior que as outras, com MUITAS lojas! MUITOS cafés! MUITOS restaurantes! então tem bastante coisa bacana pra fazer, ver e conhecer. se fôssemos ficar tanto tempo em uma cidade como tomelloso seria o fim dos tempos! hehehehe! mas aqui não é esforço nenhum.... já que o hotel é perfeito (melhor café da manhã que já pegamos) e a cidade oferece tantas atividades.

tanto é que fiquei esses dias sem escrever por pura falta de tempo. hehehe. foram várias maratonas de caminhadas, compras, e andanças pra cima e pra baixo! estou até meio cansado. hoje acordei e me recusei a sair atrás de lojas de novo. afff! precisava de um tempo. não estamos nem na metade da viagem ainda e parece que já me deu uma canseira deste ritmo frenético! conversas, compras, onde comer, o que fazer, ficar ou não no hotel, ensaios, onde comer de novo, chá, café, tostada, sorverte, compras, lojas, ensaio, pessoas, pessoas, as mesmas pessoas, sempre. basicamente nos encontramos no café todos os dias. todo mundo. daí já começa: o que vamos fazer hoje? onde vão comer? com quem vão sair? e o dia inteiro segue nessa lógica.
tem um parque maravilhoso aqui ao lado do hotel... acho que hoje vou pra lá sozinho fazer uma meditação. hehehe.

bom, no domingo quando chegamos estava tudo fechado. comi no burger king (affff) voltei pro hotel e acho (?) que saímos de noite pra comer de novo..... sim, acho que foi o dia que comemos uma pizza super gostosa feita na hora que se come em pé e com a mão! :)
já na segunda teríamos ensaio pela manhã numa academia/studio de dança. acabou que era o conservatório municipal.... um lugar super bacana! nos encontramos todos no café (!) e fomos de taxi para um ensaio. estava um frio do caramba! o chão era muito gelado! começamos a remontagem do "por instantes de felicidade". tem 3 espetáculos do repertório em circulação e todos têm que estar de pé até o fim da viagem! inclusive todos nós achamos que teríamos folga na segunda mas nem rolou.... pois tem muita coisa pra fazer. nestes momentos gostaria de ter um botão pra apertar no meu corpo pra trocar a informação. ou trocar o chip sei lá...

depois do ensaio fomos almoçar. tive a péssima idéia de acompanhar o pessoal num restaurante chinês. já tinha dito que não comeria comida chinesa de novo..... desde ciudade real, que comi chinês umas 3 vezes já fiquei meio saturado. mas era barato.... e acabei indo. mas agora, definitivamente, chinês só daqui uns 6 meses! depois do almoço fomos pra primeira maratona de lojas e compras e cafés e sorvetes. bom, tem uma loja aqui que se chama 'lefties' que é um outlet da zara! PUTZ! o pessoal fez a feira! hahahahahaha! tipo, camiseta por 2 euros? comprei uma calça pra mim super bacana por 9 euros! comprei presente pra minha mãe. enfim..... uma feira mesmo! haha! valeu muito a pena.
tomamos sorvete, vimos mais umas 73 lojas até o fim do dia..... hahahahahahahahaha! nem todas tão baratas como a primeira mas todas muito bacanas! com roupas incríveis. terminamos o dia num café. uma delícia isso. e aqui tem 3 cafés em um quarteirão... então... é só escolher. pra fechar, como estava muito cansado, resolvi tomar um banho na banheira..... até dormi na água! perfeito.

dia seguinte, todos se encontram no café (!!!). saímos mais uma vez para explorar uma outra parte da cidade que tem mais e mais lojas. fomos em mais umas 83 ou 87.... não me lembro! :) comprei presentes pra minha vó desta vez. o ensaio foi remarcado para começar uma hora mais cedo, desta vez já no teatro. então nem deu tempo de dar uma descansada de tarde..... das lojas já fomos comer... num kebab. todos falavam tanto desse tal de kebab, que era uma delícia e barato. bom, só consegui comer uma mordida!!! que carne estranha gente! daquela que ficam num rolo de espeto. péssimo! ou seja: almocei batata frita e coca! enfim, depois de uma passada rápida no hotel já fomos trabalhar. desta vez passagem do terceiro espetáculo "céu na boca". uma loucura gente. de novo queria meu chip. aperta o botão dança o "só", aperta outro remonta o "pif", mais um, passa o "céu". mas no fundo é bacana isso. exige uma agilidade de mente e corpo pra responder a uma demana mais puxada de trabalho. mais uma vez crescimento.

saindo do ensaio, mais um café! pra variar! :) hotel, banho..... saímos de noite pra conhecer uns pubs.... fomos em dois. mais uma noite bacana, cervejas alemãs, jogo de dardos e sinuca! bacana bacana!

fotos de albacete:


mais em: http://www.flickr.com/photos/realidadedecantada